BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

A Lot Like Love

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

De repente o amor bate à porta do coração,pedindo licença para entrar. A alma engrandece, o dia fica mais bonito, a vida fica mais colorida. Suspiros, sorrisos espontâneos, leves, músicas alegres e borboletas no estômago são freqüentes. Há quem diga que amar é estar no paraíso.
Quando é amor tudo muda. O aroma, o timbre, o gosto, a alma. As horas passam com a velocidade de segundos, o céu aparenta ser mais azul, a vida tem mais graça. Há quem diga que de nada vale o amor.
Não existe feio e belo, rico e pobre, bom ou mau no amor. Não existe amor pelas metades, não há como escolher o que amar. Ou ama-se por inteiro ou não é amor. Amor é carinho, atenção, cuidado. Amor é a possibilidade de ser quem é, livremente, e não ser julgado por isso. Amor é a descoberta de sentimentos, sensações e horizontes. Amor é ... simplesmente amor.
Quem já se apaixonou sabe do que eu falo. Talvez até reavive lembranças que outrora foram esquecidas. Todos hão de concordar comigo: nunca se esquece o amor. Quando um dos dois vai embora, quem fica sempre guarda-o com carinho, ternura. Quem vai sofre, - sem demonstrar,claro, o orgulho sempre fala mais alto - chora, e de um jeito ou de outro, segue a sua estrada, mas não se esquece do amor que outrora vivera.
O medo do fracasso é inevitável. Incerteza, insegurança, desespero ... tudo ainda é amor. Medo de não agradar a quem se ama não é motivo para desistir. Se o amor é verdadeiro, a luta, a conquista e a vitória são conseqüência da força de vontade, da força do amor. Basta querer.





Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

(...)

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

4 comentários:

felipehistory disse...

Dizem as definições mais objetivas que "Amar" é gostar muito. É um sentimento inatingível de desejar o bem de outro ser vivo ou de um objeto e de dedicar-lhe grande afeto.

Pode chegar a um estado extremo de devoção ou ser apenas uma inclinação profunda a um valor, ou a alguma coisa que proporcione entusiasmo, satisfação e sobretudo prazer.

O poeta Luís de Camões diria, por exemplo, que é um não querer mais que bem querer, um andar solitário entre a gente, um nunca contentar-se de contente ou um cuidar que ganha em se perder.

Mas o seu texto sobre o amor terminando com a poesia do Drummond diz tudo! Muito bonito.

hg. disse...

basta querer.

Mário Lourenço disse...

É incrível como esse sentimento tão delicado pode nos fazer passar por dores tão intensas.
Mas basta superá-las e procurá-lo de novo. Basta querer...
Texto bem sutil, parabéns

O_Celha disse...

Texto lindo. xD
Mas o filme A Lot Like Love e aquela cena do beijo na contagem regressiva é mto tri.xD

Parabéns pelo blog.

Postar um comentário